Advertisement

A decisão dos principais bancos australianos de remover a tarifa de retirada de dinheiro de caixas eletrônicos vai gerar uma economia de centenas de dólares aos consumidores. Mas mesmo assim, consumidores ainda pagam mais de 4 bilhões de dólares em tarifas bancárias por ano. 

By
Ricardo Goncalves
Presented by
Luciana Fraguas
Published on
Sunday, October 1, 2017 - 14:11
File size
1.29 MB
Duration
2 min 49 sec

Transcript

Os quatro grandes bancos australianos decidiram remover as tarifas para retirada de dinheiro em caixas eletrônicos, mas essa tarifa que eles estão eliminando já faz parte de uma área que está em queda no mundo bancário. 

 

O Banco Central australiano disse que o uso de caixas automáticos atingiu o seu nível mais baixo em 145 anos, apesar do número de máquinas ter aumentado em 26 por cento há quase uma década. 

 

Ainda assim, o analista da CMC Markets, Michael McCarthy, diz que o fim da tarifa vai custar dinheiro aos bancos.

 

“Há uma estimativa de que os bancos recolhem cerca de 500 a 600 milhões de dólares por ano. Desses, 100 milhões são lucro. Então isso não vai ser significativo, em termos do lucro que eles fazem por ano, porque isso representa menos de um por cento dos lucros.” 

 

A editora de Dinheiro do RateCity, Sally Tindall, diz que apesar da extinção da tarifa, os australianos ainda pagam $4.4 bilhões de dólares em tarifas bancárias por ano.

 

“Existem uma série de taxas, a lista é longa. Existem tarifas de prestacão da casa, de transação entre contas bancárias, do sistema previdênciário australiano. Tem taxa pra tudo, a lista é imensa.”

 

Sally diz que taxas de cartão de crédito figuram no topo da lista com os bancos ganhando mais de 1.5 bilhões por ano no último ano financeiro.

 

O Banco Central recentemente reduziu as tarifas de intercâmbio, mas Christopher Zinn, dos Diretos do Consumidor, afirmou que isso não é o suficiente.

 

“Australianos usam o sitema de toque (do cartão de crédito no caixa) mais do que qualquer pessoa no planeta e podem ser cobrados por isso. É ridículo. Nós precisamos de sistemas de pagamento sem tarifas para todos, e para todas as novas tecnologias que estão surgindo.”