Coming Up Sun 12:00 PM  AEST
Coming Up Live in 
Live
Portuguese radio

"O que mais pegou para mim foi o psicológico, foi isolado e solitário", diz brasileiro com dupla nacionalidade no visto Work and Holiday

Source: Guilherme Zanatta/supplied

O brasileiro Guilherme Zanatta tem passaporte italiano e trabalhou durante três meses em uma fazenda de laticínios no interior do estado de Vitória como requisito para poder renovar seu visto por mais um ano.

Desde novembro de 2016, os que desejam renovar o Work and Holiday Visa para um segundo ano de visto precisam trabalhar pelo menos 3 meses em áreas regionais da Austrália em determinados tipos de indústria, geralmente no ramo de pesca e agropecuária.

Guilherme Zanatta, de 28 anos, é brasileiro, mas possui passaporte italiano.

Ele retornou recentemente da pequena Portland, no interior do estado de Vitória, a cerca de 350 quilômetros da capital Melbourne.

Lá, ele trabalhou em uma fazenda de laticínios durante 3 meses para poder renovar seu visto por mais um ano.

Guilherme Zanatta
Supplied

 “Eu tinha 11 dias trabalhados e 3 de folga. Era uma rotina bem pesada. No começo eu trabalhava de manhã, tinha um um intervalo de 2 horas e voltava a tarde de novo. Chegava a ser de 12 a 13 horas de trabalho por dia. E, por ser uma dairy farm [fazenda de laticínios], eu começava a trabalhar às quatro e meia da manhã.”

Dairy Farm
Guilherme Zanatta

Guilherme conta que foram dias difíceis e quase pensou em desistir.

“O desafio físico a gente já tem que ir preparado. Mas, o que mais pegou para mim foi o psicológico, eu não achei que fosse ter problemas com isso, mas foi extremamente isolado e solitário. Eu não lidei bem com isso, diversas vezes eu me questionei, pensei em voltar para o Brasil, ir para outro país, eu repensei sobre muitas coisas da vida, porque não é uma situação agradável de passar. Mas, eu tinha um objetivo e foquei nisso. Eu sabia que eu queria ficar aqui na Austrália.”

Farm house
Guilherme Zanatta

Apesar dos desafios, a experiência teve também suas vantagens.

“Foi bom, porque eu consegui conhecer lugares que eu não teria conhecido ficando em Sydney. Eu conheci um outro lado da Austrália, fui para a Austrália do Sul e o interior de Vitória. Além disso, pude economizar bastante dinheiro, pois eu estava longe de uma cidade com supermercado e eu tinha que estocar comida em casa e cozinhar todas as minhas refeições.”

Já de volta em Sydney, Guilherme disse que pretende focar em conseguir um novo trabalho, com a certeza de ter tido um grande aprendizado na fazenda.

Farm
Guilherme Zanatta

“Foi muito difícil, mas eu tenho certeza que eu vou tirar coisas positivas disso. Agora, eu volto para Sydney com uma outra mentalidade, que talvez eu nunca teria se eu não tivesse passado pela fazenda. Eu saí de lá com mais certeza do que eu quero.”

Siga-nos no FacebookTwitter e Instagram

Coming up next

# TITLE RELEASED TIME MORE
"O que mais pegou para mim foi o psicológico, foi isolado e solitário", diz brasileiro com dupla nacionalidade no visto Work and Holiday 08/08/2019 10:14 ...
Brasil tem nova nota de 200 reais, com o lobo-guará 17/09/2020 00:45 ...
Portugueses, brasileiros, timorenses na Austrália se mobilizam na coleta de alimentos para estudantes internacionais 17/09/2020 13:31 ...
Mario Santoro, acusado de matar Cecilia Haddad, alega problemas de saúde; pede para responder processo em liberdade 17/09/2020 05:12 ...
O bárbaro assassinato e a escalada da violência no norte de Moçambique 17/09/2020 03:30 ...
O Benfica apostou tudo na glória europeia mas foi afastado da Champions na primeira eliminatória 17/09/2020 02:46 ...
Os empréstimos e as dívidas a chegar com a pandemia 16/09/2020 13:41 ...
Notícias da Austrália e do Mundo | SBS em Português | 16 de setembro 2020 16/09/2020 13:51 ...
Em Milão, o réquiem a abrir à esperança 14/09/2020 03:54 ...
Cientistas brasileiros estudam o poder da cafeína na melhora do desempenho esportivo 13/09/2020 08:43 ...
View More